Em sua primeira edição, o Festival Alagoanes celebra o centenário do audiovisual em Alagoas. Durante 30 dias consecutivos, entre 22 de março a e 20 de abril, o Festival, não competitivo, busca contribuir com ações formativas que incentivam o diálogo, a realização e o fomento de obras audiovisuais, tudo isso 100% on-line e gratuito. A programação pode ser conferida através do site do Festival Alagoanes  e das redes sociais do Alagoar. Entre os filmes em exibição está “Originários”, documentário produzido e realizado pela Zóio e que aborda sobre a vivência de crianças indígenas de Alagoas.

Todos os filmes estão disponíveis para serem assistidos no site do Festival e no canal do Youtube do Alagoar, com exceção de A Barca – 26/03 à 01/04 – e Cavalo – 10/04 à 16/04. De segunda a sábado serão realizados debates com os realizadores dos filmes ao vivo pelo canal Youtube do Alagoar. Os filmes em exibição no Festival Alagoanes têm como característica principal a direção ou codireção e a produção ou coprodução feita por alagoanos ou residentes no estado.

O Festival traz em sua costura 13 temáticas e 24 sessões de filmes, além de mesas redondas e debates. Também serão realizadas oficinas, cada uma com suas particularidades, tendo como foco o aprendizado teórico-prático da linguagem cinematográfica, que abrange diferentes áreas do audiovisual. Todos os encontros acontecerão de forma virtual e gratuita, tendo como principal objetivo promover o diálogo, difundir conhecimento, trazer reflexões e estimular a troca.

Além das ações formativas, os filmes exibidos no Festival Alagoanes têm como característica principal a produção ou co-produção feita por alagoanos ou residentes no estado, todos os filmes estarão disponíveis para serem assistidos e debatidos com o público através do Youtube (https://www.youtube.com/results?search_query=alagoanes ) e Site do Festival. Já o filme Originários (Direção: Marcelo Amorim) pode ser visto no link: https://www.youtube.com/watch?v=7r3aK2KDTn0

O Festival Alagoanes conta com o apoio financeiro do Governo de Alagoas, através da Secretaria de Estado da Cultura, via Lei Aldir Blanc, direcionada pela Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo, Governo Federal.